Marca

Guia prático: aprenda como escolher o nome da empresa

aprenda como escolher o nome da empresa
Escrito por SM8 Marcas

Escolher o nome de uma empresa é uma das primeiras e mais importantes tarefas de um negócio. Tomar os devidos cuidados nessa etapa é essencial para quem deseja enraizar a sua marca no mercado, tornando-a assim mais popular.

Apesar de parecer algo bem simples, vale ressaltar que é preciso muita dedicação na hora de fazer essa definição. É por isso que, neste artigo, disponibilizamos 10 dicas para que você acerte ao escolher o nome da empresa. Acompanhe!

1. Pense sempre no posicionamento da marca

Inúmeros empresários cometem erros graves na hora de escolher o nome da empresa, por não avaliarem o conceito da marca a partir de outros pontos de vista.

Por exemplo, siglas extensas com as iniciais dos sócios podem até parecer interessantes e marcantes para as pessoas mais próximas. Porém, fique atento! Elas nem sempre farão sentido para o seu cliente.

Na hora de criar uma marca, é imprescindível se preocupar com o posicionamento que o nome terá na vida do consumidor. Afinal, é para satisfazer as necessidades dele que a organização está sendo criada, não é mesmo?

2. Use a criatividade e solte a imaginação

Também é importantíssimo trabalhar com a criatividade e com a imaginação para se destacar dentro de um mercado, que está cada dia mais abarrotado.

O nome da empresa precisa ter um diferencial — apenas dessa forma será possível fixá-lo na cabeça do consumidor.

Mesmo não sendo o critério determinante do sucesso ou do fracasso de um empreendimento, o nome do estabelecimento também é importante. Afinal, quanto mais comum for o nome da sua marca, mais difícil será fazer o cliente se lembrar dela.

3. Procure simplificar as coisas

Mas nada de exageros, combinado? Não confunda criatividade com complicações ou com nomes extensos. Quanto mais simples for o nome da sua empresa, mais fácil também seu público se lembrará dela.

Isso não quer dizer, entretanto, que o nome precisa ser comum. Por isso, procure mesclar criatividade com objetividade.

Além disso, invista em nomes que carreguem em si um significado bastante próprio!

4. Leve sempre em conta o perfil do seu cliente

Outra dica importante para quem está tentando escolher o nome da empresa é considerar o tipo e o perfil dos consumidores antes de qualquer decisão.

Por exemplo, se sua empresa tem como principal público os jovens, nada melhor do que usar uma linguagem que já é conhecida por eles. Assim, será mais fácil chamar a atenção dos seus clientes!

Isto é válido, ainda, para segmentos que levam em conta o gênero do consumidor e a classe social.

5. Evite associações impróprias

Todo cuidado é pouco na hora de escolher o nome da empresa, e é claro que alguns são verdadeiramente essenciais, para não gerar situações embaraçosas ou até mesmo desagradáveis.

Tomar cuidado com possíveis associações impróprias é uma das dicas que não pode ficar de fora na hora de definir o nome do negócio!

Apesar de parecer algo bastante óbvio, muitos empresários ainda cometem drásticos erros ao abrir empreendimentos com nomes que acabam por virar “piada”. É também o caso daqueles que optam por siglas que podem ser mal interpretadas. Fuja dessas situações!

6. Fuja de gírias e termos momentâneos

Agora é hora de considerar o que é momentâneo e o que é duradouro. Afinal, você espera que o seu empreendimento se mantenha ao longo de anos, não é mesmo? Muito do que está em alta hoje não se manterá assim por muito tempo.

É o caso de gírias e termos que estão de passagem e que não devem ser registrados como nome de um negócio — já que, passado aquele momento, podem deixar de fazer sentido.

Com certeza você não trocará o nome do estabelecimento a cada 5 ou 10 anos; por isso, pense direitinho antes de escolher algo assim.

7. Considere a pronúncia

Outro ponto importante é levar em conta o modo como o nome da sua empresa será pronunciado. Por exemplo, se você optar por um termo francês, fique ciente de que muitos de seus clientes poderão errar feio na pronúncia.

É o caso também de estrangeirismos que podem soar como palavras de baixo calão na língua portuguesa. Veja o caso de “cool”, palavra inglesa que significa “legal”.

A associação pode ser insatisfatória, não é mesmo?

8. Use palavras fortes

Quando você se depara com empreendimentos que carregam no nome títulos como rei ou imperador, automaticamente já se sente atraído, não é? E sabe por quê? As pessoas gostam de empresas que possuem nome forte!

Sendo assim, que tal pensar em agregar esses termos ao nome da sua organização?

É claro que é preciso tomar cuidado para não soar estranho ou forçado. Mas vale muito a pena considerar a ideia durante o período de definição e escolha da sua marca.

9. Confira se o nome está disponível

Seguidas todas essas dicas, é chegada a hora de conferir se o nome escolhido está, ou não, disponível para ser usado.

Como você já deve saber, é imprescindível verificar esse fator para se livrar de possíveis problemas no futuro, como processos e outros contratempos.

Para verificar tal disponibilidade, você pode acessar sites de registros nacionais e internacionais. Além disso, é possível fazer consultas em sites de busca, como o Google, para verificar se existe algum tipo de negócio que já esteja utilizando o nome escolhido por você.

10. Faça o registro da marca

Verificada a disponibilidade do nome que foi escolhido, é hora de fazer o registro da sua marca para não correr o risco de que alguma outra empresa o faça.

O registro é feito pelo Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI) e pode demorar de dois a três anos até que tudo seja devidamente formalizado. (veja mais aqui)

É por isso que hoje muitos empresários recorrem a assessorias especializadas no assunto. Assim, a formalização fica por conta desses profissionais, tirando a sobrecarga de seus ombros.

Gostou das dicas dadas neste artigo sobre como escolher o nome da empresa? Aproveite para comentar quais são as suas ideias e em qual etapa dessa definição você está!

Sobre o autor

SM8 Marcas

Deixar comentário.

Share This